Image of the Grunenthal Logo
Image of the Montescano Pain School Logo
a minha dor… foi desenvolvido pela Grünenthal GmbH em colaboração com a Montescano Pain School

O que poderá ser?
Dor crónica (dor prolongada)

Take a pain questionnaire by the My Pain Feels Like initiative
 

O que é a dor crónica?

A dor crónica (dor prolongada) pode persistir mesmo depois de a lesão ou doença que lhe deu origem ter desaparecido e não tem qualquer utilidade. Essa dor ocorre porque o corpo envia incorretamente sinais de dor ao cérebro, quando na realidade já não existe lesão. A dor crónica envolve muitas vezes elementos de dor nocicetiva e de dor neuropática. Um exemplo deste tipo de dor é a lombalgia, que inclui frequentemente as componentes nocicetiva e neuropática.

A dor crónica é uma condição/doença de longa duração; no entanto, tal como acontece com outras doenças crónicas, pode ser tratada e controlada com tratamento adequado, por exemplo, através da utilização de medicamentos e da alteração do estilo de vida. A artrite e a diabetes são exemplos de problemas diagnosticados em que pode surgir dor crónica.

O que causa a dor crónica?

A dor crónica pode ter origem em diversos fatores. Os problemas de saúde normalmente associados ao envelhecimento afetam muitas vezes os ossos e as articulações originando dor crónica (p. ex. osteoartrite). Outras causas comuns são as lesões nervosas (que causam dor neuropática) e lesões que não saram de forma adequada. Para complicar ainda mais, alguns tipos de dor crónica têm múltiplas causas. A lombalgia, por exemplo, pode ser provocada por um ou mais dos seguintes fatores: lesão, má postura, levantar e carregar pesos de forma incorreta, excesso de peso, predisposição genética (p. ex. curvatura da coluna), dormir num colchão de má qualidade ou o envelhecimento normal da coluna.

Muitas doenças ou infeções crónicas também podem provocar dor crónica. Estas incluem a artrite reumatoide, diabetes, cancro, esclerose múltipla, fibromialgia, herpes e infeção VIH/sida, sendo que diabetes, herpes, esclerose múltipla, cancro e infeção VIH/sida podem causar dor neuropática. Contudo, em muitos casos, a origem da dor crónica pode ser uma questão muito complexa e até misteriosa. Embora possa começar com uma lesão ou doença, a dor crónica pode desenvolver uma dimensão psicológica mesmo depois de o problema físico ter desaparecido.

Quais são os sintomas de dor crónica?

Os sintomas de dor crónica também podem incluir fadiga, insónia e sensação de desconforto, sensibilidade, aperto ou rigidez. Os doentes com dor crónica podem usar termos descritivos como pontada, dor tipo queimadura, dor contínua ou choques elétricos.

Como é diagnosticada a dor crónica?

A dor crónica é muitas vezes difícil de diagnosticar. Isso pode levar a um tratamento insuficiente, com estratégias de "tentativa e erro" que podem persistir durante vários meses ou mesmo anos. É essencial fazer um diagnóstico correto o mais cedo possível para encontrar o tratamento certo e poder aliviar os sintomas da dor crónica. Por isso, é importante que os doentes descrevam os seus sintomas ao médico tão detalhadamente quanto possível, para facilitar a identificação da verdadeira causa da dor crónica. Como parte do processo de diagnóstico, o médico realizará um exame físico e colocará questões ao doente sobre os seus sintomas e história clínica. O médico poderá também colocar questões sobre a intensidade da dor (através de uma escala de dor), duração, frequência e sobre outros detalhes da vida diária do doente.

O que podem os doentes fazer?

Existem várias opções de tratamento para a dor crónica. É importante ser proativo. Se vir que a dor se prolonga por mais de um mês, preencha o "questionário sobre a minha dor" e consulte o seu médico. O questionário é uma ferramenta muito útil para melhorar a comunicação entre doentes e médicos, pois ajuda o médico a fazer um diagnóstico mais preciso da causa da dor crónica. Será útil, sobretudo, para para o ajudar a descrever com exatidão a dor e a sua localização, bem como para indicar se a dor é desencadeada por algum fator em particular. Na preparação para a consulta médica, os doentes devem preencher cuidadosamente o "questionário sobre a minha dor", imprimir os resultados e discuti-los com o médico. Pode ler mais informações sobre possíveis opções de tratamento aqui.

Tenha em consideração que: as informações disponíveis neste site não substituem uma consulta com um profissional de saúde. Apenas um profissional de saúde pode decidir quais os procedimentos de diagnóstico e as opções de tratamento mais adequadas para cada doente.